Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vida q. b.

A vida. Nem sempre escorreita mas também nem sempre difícil e onde sempre existe motivo para sorrir, mesmo que para disfarçar as lágrimas.

Vida q. b.

A vida. Nem sempre escorreita mas também nem sempre difícil e onde sempre existe motivo para sorrir, mesmo que para disfarçar as lágrimas.

15/09/16

Fim de semana na aldeia...

...julgam que é calmo? Desenganem-se.

 

Sou de uma aldeia de interior como tantas outras, população residente envelhecida, pouca juventude, sem emprego se ficam por ali.

Mas sou de uma aldeia no interior onde o associativismo ainda está vivo e bem vivo. É graças ao associativismo que temos Festa de Verão, é graças ao associativismo que há desporto para jovens e adultos, é graças ao associativismo que a água e a luz aí chegaram, é graças ao associativismo que temos azeite e, mais que tudo, é graças ao associativismo que temos um Centro Social com valências de Lar, Centro de Dia e Apoio Domiciliário.

 

Este fim de semana foi de Feira Solidária. Após recolha de tanta coisa ao longo do ano chegou a hora de as trocar por donativos para o funcionamento do Centro.

 

Manhã de sábado (o patrão não me permitiu chegar a tempo na véspera) a preparar tudo, tarde e noite de sábado a Feira. Não rende muito, mas o trabalho é dado com gosto e quem faz os donativos também o faz com gosto além de passar uma tarde diferente. Também para os idosos é uma tarde diferente, uma tarde em que, os que ainda não estou limitados a uma cama, vêm até ao jardim ouvir os sanfoneiros e conversar ao ar livre com toda esta gente.

 

De noite já os idosos se foram. Mantém-se quem ajuda a desmontar e a carregar de volta tudo menos os stands, simpático apoio prestado pelo Municipio que os seus colaboradores virão retirar na próxima semana, utilizando a viatura de caixa aberta da Junta, valioso apoio pois o Centro apenas tem viaturas fechadas preparadas para o transporte de idosos.

 

O lucro pode ser pouco para o trabalho que dá mas é um dia diferente e para onde vai esse pouco não vai outro.

 

Assim se dá por encerrada esta época de Verão, das Festas, das Procissões, em plena época de Vindimas (também me calha esta mas não este ano que uvas a chuva intempestiva de Maio levou).

 

 

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.