Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida q. b.

A vida. Nem sempre escorreita mas também nem sempre difícil e onde sempre existe motivo para sorrir, mesmo que para disfarçar as lágrimas.

Vida q. b.

A vida. Nem sempre escorreita mas também nem sempre difícil e onde sempre existe motivo para sorrir, mesmo que para disfarçar as lágrimas.

19/02/18

Vai formosa e segura Elina no laranjal...

Uma pequena (espero) nota prévia, relativamente à política encontro-me Desencantada. Desencantada com a generalidade da classe política onde quem não tem nível chega a altos cargos e quem tem nível, para poder agir conforme o seu bom senso e consciência, tem de chegar alto porque "por baixo", nas chamadas "bases", quem se atreve a divergir do discurso autorizado é colocado de parte e "desaparece".

 

Admiro e respeito os políticos (poucos e raros) que tomam partido e se levantam em prol do que consideram correto independentemente de quem propõe. Conheço alguns que o fazem cá fora mas, dentro de São Bento, dentro do partido, seguem a opinião geral (do partido), não é a esses que me refiro, refiro-me àqueles que, seja onde for pugnam pelo que consideram correto. E esses, repito, são raros, a grande maioria são políticos desde o 25 de Abril e estão em fim de carreira.

 

Ontem Rui Rio "surpreendeu" com a nomeação de Elina Fraga para Vice-Presidente. Parte do partido não gostou, ao que parece por Eliana Fraga, como Bastonária da Ordem dos Advogados, ter divergido publicamente e de forma bastante ativa do Governo PSD/PP de Passos Coelho.

 

Eliane Fraga e Rui Rio.jpg

Fonte: DN

 

É um tomar de posição de Rui Rio e um "aviso" ao partido e talvez ao país.

 

Para mim, que olho de fora, fiquei com curiosidade sobre Eliana Fraga que, sendo PSD, pugnou pelo que considerava correto mesmo sendo diferente da corrente geral do partido, e mais importante ainda (especialmente para um país em que isto raramente acontece) não submeteu o cargo, para que foi eleita, de Bastonária da Ordem dos Advogados, à sua militância (pessoal) do PSD.

É bom saber que ainda há quem consiga separar as suas posições pessoais das posições que tem de tomar em representação de um coletivo que o elegeu como representante.

 

A reação do Laranjal não surpreendeu, nem surpreenderia em outro qualquer partido politico, em que este gesto

 

nodding yes.gif

 

é a regra, mesmo que contra o interesse do país.

 

Vamos agora ver como reage o partido, o país e a própria Eliana Fraga a este "sinal"de Rui Rio e à resposta do partido.

16/01/18

Parabéns ao novo Presidente do PSD, Rui Rio...

Rui-Rio.jpg

 

Rui Rio foi eleito Presidente do PSD. Eu, que não conheço o Sr., não faço ideia quais os seus planos... não faço ideia do caminho que quer trilhar. Mas tenho duas esperanças:

 

1 - Espero que Rio compreenda melhor as dificuldades em que o país real vive ainda que, como homem do Porto, talvez só conheça a realidade do patamar abaixo de Lisboa.

 

2 - Espero que, como líder do principal partido da oposição, não mantenha a postura de debater o passado que teve na campanha, necessitamos que se discuta e planeie o futuro (embora não esquecendo o passado para que não se cometam os mesmos erros).

 

Serão vãs esperanças? Gostava que não. 

03/01/18

Uma mensagem para o Ano 2018

Acabaste de chegar mas já deves ter-te apercebido que caiste numa enorme confusão. De facto o teu predecessor deixou as coisas um pouco confusas mas não o culpes, tu nem sabes as confusões que ele teve ao longo dos seus 365 dias.

 

Por ora aproveita que estás no que apelidamos de estado de graça. És novinho, ainda por estrear, as pessoas têm esperança que sejas melhor que 2017 e isso, por enquanto, basta-lhes.

 

Pelo Mundo já "conheceste" o Kim Jong Hun que te deu as boas vindas envergando um elegante fato cinza, com gravata cinza, e camisa branca. Podes estranhar o cabelo, tipo pista de aviação, mas alerto desde já que era a única coisa na imagem que não era encenação. O cabelo e o discurso ameaçador aos EUA são reais.

 

2-kim-jong-un.w710.h473.jpg

 

O que deve preocupar-te é que as ameaças até podem ser dirigidas aos EUA mas, sendo uma ameaça nuclear, implica todo o Mundo.

 

Entretanto, nos EUA, o discurso do Presidente Trump é de que pode contrapor com o próprio poder (económico, militar e nuclear). Desde pequena aprendi que responder a ameaças de violência com ameaças de violência dá inicio a uma escalada de violência tanto em palavras como eventualmente em atos mas tal parece não afetar nem Kim nem Trump.

Donal Trum 112017.jpg

 

 

Tudo isto me lembra a canção de Sting "Russians" sendo que os Norte-Coreanos tomam o lugar dos Russos da canção.

 

In Europe and America there's a growing feeling of hysteria.
Conditioned to respond to all the threats
In the rhetorical speeches of the Soviets North-Koreans.
MIster Krushchev Kim Jung Hun said, "We will bury you."
I don't subscribe to this point of view.
It'd be such an ignorant thing to do
If the Russians North-Koreans love their children too.
How can I save my little boy from Oppenheimer's deadly toy?
There is no monopoly on common sense
On either side of the political fence.
We share the same biology, regardless of ideology.
Believe me when I say to you,
I hope the Russians North-Koreans love their children too
 
There is no historical precedent
To put the words in the mouth of the president?
There's no such thing as a winnable war,
It's a lie we don't believe anymore.
Mister Reagan Trump says, "We will protect you."
I don't subscribe to this point of view.
Believe me when I say to you,
I hope the Russians North-Koreans love their children too
We share the same biology, regardless of ideology.
But what might save us, me and you,
Is if the Russians North-Koreans love their children too
 

 

 

O Presidente Trump, eleito por minoria de sufrágio universal, e maioria do Colégio Eleitoral, mantem o poder na América e, até ao momento, a nível internacional, demonstrou ativamente que a Proteção Ambiental não lhe interessa, que acredita que o Aquecimento Global é uma mentira concebida para prejudicar a América e que a Diplomacia não é uma arte mas algo que se aprende no recreio da Escola Primária, se não concordares comigo deixas de ser meu amigo e nunca mais te dou nem empresto nada.

 

Desta forma vais encontrar que num pequeno país chamado Israel e na Palestina a dificil convivência, relativamente pacifica, que o teu predecessor viveu durante a quase totalidade dos seus dias, terminou.

E países que estavam a ser apoiados pelos EUA vão deixar de receber esse apoio por terem mantido a sua fé na Diplomacia.

 

 

Não sei o que acontecerá ao longo dos teus dias mas... deves aspirar ao melhor e preparar o pior.

 

 

Aqui no nosso jardim à beira mar plantado, um pouco esturricado, a Geringonça continua em pleno funcionamento.

 

O que é a Geringonça, perguntas? O PS, partido que nos governa, também não ganhou o sufrágio universal mas o conjunto da Esquerda (PS, PCP, BE) ganhou e juntos aprovaram o Governo. A esta tríade chamamos Geringonça, por que funciona embora num equilibrio precário.

 

antoniocosta_0.jpg

 

O historicamente considerado principal partido da Oposição , o PSD, está acéfalo, em processo de escolha de um novo Presidente.

 

Nesse entretanto, o PP ergue cada vez mais alto a bandeira de de facto principal partido da Oposição, por enquanto.

 

E parece que tudo vai bem (sublinho o parece).

Na realidade vais encontrar um país a duas disposições, quem vive da repercussão internacional no país está feliz, quanto aos restantes...

 

Vais perceber que os portugueses ainda não viram as funções sociais do Estado regressar em pleno. Vais perceber que nas Escolas e nos Hospitais falta o básico com mais frequência do que é admissível.

Que os nossos idosos continuam a receber pensões abaixo do limiar de sobrevivência.

Que o emprego que vai aparecendo é pelo salário mínimo seja para um Trabalhador Indiferênciado sem qualificação nem experiência, seja para um trabalhador qualificado com anos de experiência.

 

Que mesmo quem trabalha tem dificuldades em sobreviver com o nível de rendimento que tem.

 

Vais descobrir que os Serviços Públicos estão a laborar, pelo menos no Interior, com o nível mínimo (ou abaixo do mínimo) de recursos necessários para dar uma resposta capaz; e que os privados não asseguram todos os Serviços que o Estado deixou de assegurar (especialmente no Interior) e quando asseguram os preços não são passíveis de serem pagos por uma larga percentagem da população.

 

Que muitos portugueses vão colaborando, disponibilizando tempo, dinheiro e bens, colmatando as insuficiências do Estado Social apesar das Ovelhas Ronhosas que vão aparecendo e que fazem vacilar a nossa fé no altruismo dos outros.

 

Não sei o que acontecerá ao longo dos teus dias mas, se fores como eu, deves aspirar ao melhor e preparar o pior.

 

 

 

 

28/12/17

Um final de ano tão diferente dos outros

No ano 2016, por esta altura, estava esperançada. Tinhamos descido tão baixo. Conviviamos com tantas dificuldades que só havia uma possibilidade para o ano novo que aí via, ser melhor.

 

Assim começou 2017.

 

Sinais de melhoria económica. A Europa a deixar de ter uma cara de Professora zangada para connosco. Notícias de aumentos de rendimento, não eram para todos e eram baixos mas eram aumentos e isso bastava para a esperança crescer.

 

Os avisos de Passos Coelho, e de Assunção Cristas, soavam a ressabiamento quando chocavam com as "palmadinhas" de incentivo paternalista que nos vinham de todo lado, Europa, FMI, Mercados.

 

Tivemos a Visita do Santo Padre (um boost à economia da Zona Centro), ganhámos a Eurovisão (um feito único a ser para sempre celebrado), benfiquistas em todo o lado fizeram uma festa que pintou de luz vermelha o Leão do Marquês (e o próprio Marquês).

 

O futebol continuou a alimentar as mesas de café de assuntos para discussão ao longo de todo o ano, para delicia de muitos.

 

Tivemos campanha eleitoral. Das melhores, as Autárquicas. Melhores pois é o poder eleito mais próximo que os portugueses têm, o poder eleito que está mais disperso e é mais conhecedor do País real.

 

Um país real que pagou a conta dos cortes feitos durante anos nas àreas menos visíveis ao eleitor e/ou onde o clientelismo é mais forte, ardendo durante 4 meses (Julho a Outubro) e com árvores a caírem.

 

Na minha óptica, repleta de ingenuidade, o Governo deveria ser Proativo nas suas políticas. Na verdade é Reativo. É sempre Reativo. 

 

Scrat Ice wall.gif

 

Tapa um buraco quando este é descoberto pelo público eleitor (ou quando dá raia) com fúria de justiceiro, qual scrat a tentar impedir o dilúvio; entretanto abriu outro (o cobertor é curto) na sua reação excessiva mas isso depois vê-se... e pois é, viu-se.

 

Tinha de se reduzir os Gastos de Pessoal na Administração Pública, mas não à custa dos Gabinetes Ministeriais nem da Assembleia da Républica, é claro; reduziu-se mais abaixo, onde para fazer o salário de um assessor são necessários 4, 5 ou 6, de assistentes ou guardas ou o que for. Lá se cortou na despesa à custa dos serviços mais "pequenos" como os Guardas Florestais. Não havia qualquer problema as "pessoas" e os privados tratam.

 

Eu sei PSD e CDS-PP, essa é a vossa ideologia, os privados podem e devem tomar conta, é o Capitalismo. O meu problema com a forma com que aplicam a vossa ideologia é que, na prática, colocaram o Estado a pagar, e isso, desculpem, mas já não é bem Capitalismo, é mais clientelismo, onde o "cliente" são vós próprios ou algum "amigo" que até vos "dá" umas "prendas".

 

Estou em dúvida quanto à ideologia dos partidos da geringonça, não consigo mesmo perceber:

 

PS - Manteve o garrote sobre a Administração Pública. Acrescentou, por via do Decreto-Lei de Execução Orçamental, cativações muito além do que havia negociado; e não contente com isso ainda estabeleceu, via Circular da Direção Geral do Orçamento - Ministério das Finanças, limitações ainda maiores. O povo pagou, em fogo e mortes, em serviços deficientes, em serviços que não puderam ser executados. O povo pagou e continua a pagar.

 

PCP - Perderam clamorosamente as Autárquicas. O que é que esperavam que acontecesse? Por aqui, à 4 anos, quando a Autarquia virou PS o novo Presidente colocou na rua sem direito sequer a subsidio de desemprego, do dia para a noite, todos os avençados perante um impávido e sereno Vereador do PCP que nada teve a objectar e que aliás passou carta branca ao PS para fazer conforme lhe aprouvesse ao longo de todo o mandato. Aqui ao lado o candidato pelo PCP chegou a um Lar e começou a ameaçar os Idosos para forçar o voto. Mais abaixo, Marido e Esposa, ambos PCP, revesam-se como candidatos (e Presidentes) para que o Marido mantenha o poder, numa mentalidade que já não se coaduna com a realidade dos dias de hoje. Esperavam o quê?

 

BE - A certo ponto até acreditei que a Catarina Martins poderia agitar as águas demasiado estagnadas da Politica Nacional. Mas quando o penacho se torna mais importante que o bem comum, como aconteceu, pelo menos uma vez, na discussão do OE para o ano que vem, é o momento em que deixo de acreditar. Um partido que prometia que apresentaria e faria discutir temas de relevo para os portugueses e agora mostra alguma tendência para preferir ser o Rei da Cocada mesmo sabendo que, não chamando os outros à discussão, é afastado como se uma incómoda mosca se tratasse.

 

Centeno, soma e segue, Portugal também some e segue a nível internacional. Por cá, quando começamos a "rapar o tacho" percebemos que a austeridade se manteve para Portugal em geral, os bons tempos apenas chegaram para alguns eleitos.

 

Continuamos a ter dois Portugal, aquele onde vivem os nossos políticos e sobre o qual decidem e aquele onde, infelizmente, vivemos; e o fosso entre os dois, apesar do esforço do Presidente Marcelo, teima a aumentar.

 

Vai valendo que já chove sobre o sequioso Portugal.

Chuva.gif

 

 

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.